Mais do que e-mail marketing, newsletter é relacionamento: começa com a afinidade dos dois lados, desenvolve a confiança, mantém vivo o interesse e constrói uma satisfação duradoura.
A implementa√ß√£o de uma newsletter √© uma boa estrat√©gia de e-mail marketing e consiste no envio peri√≥dico de um boletim aos seus clientes e aos seus potenciais clientes, via e-mail. A newsletter n√£o deve ser confundida com o envio ocasional de e-mails (mala-direta eletr√īnica). Ela se caracteriza pelo envio regular de mensagens, com uma freq√ľ√™ncia di√°ria, semanal ou mensal, e por um conte√ļdo mais informativo.
Tamb√©m n√£o se deve esperar da newsletter resultados a curto prazo. Estes resultados s√£o caracter√≠sticos da mala-direta eletr√īnica, elaborada para divulgar uma oportunidade, supostamente √ļnica, de o cliente potencial realizar uma √≥tima compra, quer seja pela vantagem do pre√ßo, da novidade, ou da promo√ß√£o tempor√°ria, em um processo t√≠pico de compra por impulso.
Além de disponibilizar os produtos da empresa ao cliente potencial com um simples clique, a newsletter tem como objetivo gerar confiança pela exposição constante da marca. Os resultados da implantação de uma newsletter são lentos, mas consistentes; podem ser mensurados por meio da visitação do site, que deve apresentar um aumento gradativo, assim como pela taxa de conversão (quantidade de compradores em relação à quantidade de visitantes), que também deve aumentar ao longo do tempo. Na implementação de uma newsletter, dois aspectos merecem especial atenção.

O que enviar

O conte√ļdo √© de fundamental import√Ęncia. Se o destinat√°rio n√£o receber algo que ele perceba como valor, n√£o haver√° interesse na continuidade do recebimento da newsletter, impedindo a obten√ß√£o dos resultados que, em geral, ocorrem a longo prazo. Um bom conte√ļdo √© aquele que gera algum benef√≠cio para o leitor. Uma dica, um presente, um artigo, uma oportunidade, informa√ß√Ķes √ļteis s√£o exemplos de conte√ļdos que geram satisfa√ß√£o e estabelecem o in√≠cio de um relacionamento que estimular√° a ocorr√™ncia de transa√ß√Ķes futuras.
√Č claro que alguns setores possibilitam a elabora√ß√£o de conte√ļdo mais facilmente do que outros. Uma livraria, que trabalha com produtos relacionados ao conhecimento, por exemplo, oferece muito mais subs√≠dios para a gera√ß√£o de conte√ļdos atrativos do que uma f√°brica de parafusos. Mas, com um esfor√ßo de criatividade, esse obst√°culo pode ser superado

Para quem enviar

No e-mail marketing em geral e, particularmente, no envio de uma newsletter, um cadastro composto de pessoas que autorizaram o recebimento da comunicação (opt-in) é fator decisivo para o sucesso.
Afinal, como a empresa poderá conseguir credibilidade se o primeiro contato com o cliente é realizado de forma invasiva? Newsletters bem-sucedidas são, na grande maioria dos casos, enviadas para clientes ou visitantes do site, não para desconhecidos, embora, talvez em decorrência de uma visão imediatista, muitas empresas optem por adquirir cadastros externos, em vez de trabalhar com seus próprios cadastros ou iniciar a formação de um.
Tempos atrás, a argumentação de empresas que possuíam grandes quantidades de clientes cadastrados e não se comunicavam com eles era o custo envolvido. Tal preocupação já não faz sentido na economia digital, pois o custo para enviar um e-mail é irrisório.
Evidentemente, a elabora√ß√£o de uma boa newsletter √© um processo trabalhoso, que exige planejamento, conhecimento e pesquisa de conte√ļdo de qualidade para o leitor. Al√©m disso, √© preciso ter paci√™ncia para ‚Äúcolher os frutos‚ÄĚ desse esfor√ßo. Por√©m, para as empresas com vis√£o de longo prazo, o resultado √© certamente recompensador.
[Dailton Felipini] – [Webinsider]